Notícias

Tropas federais irão apoiar cerca de 500 Municípios no 1º turno das eleições

No próximo domingo, 7 de outubro, eleitores irão às urnas para escolher seus representantes do legislativo e executivo estadual e federal. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou o envio de forças federais para 497 localidades de onze estados para assegurar o livre exercício do voto nesses Municípios. Ao todo, 28 mil militares atuarão nesta operação.

A medida visa manter a normalidade, tranquilidade e segurança no dia das eleições, bem como garantir a apuração dos resultados. As tropas federais são formadas por militares das Forças Armadas e são enviadas às localidades em que a segurança pública dos estados necessita de reforço.

O Piauí foi o ente que mais pediu apoio. Lá, os militares irão proteger 122 Municípios. Em seguida, vêm Rio Grande do Norte (97), Maranhão (72), Rio de Janeiro (69), Pará (60), Amazonas (26), Mato Grosso (19), Tocantins (12), Acre (11), Ceará (5) e Mato Grosso do Sul (4).

O Tocantins pediu reforço de tropas federais para 12 locais nas Eleições 2018. No dia 7 de outubro cerca de 2,2 mil homens de várias forças de segurança vão estar no estado para garantir a tranquilidade durante a votação. O procedimento é padrão durante eleições e será adotado em 500 locais em todo o país.

Veja quais locais vão receber o reforço:

32ª ZE de Goiatins - Aldeia Pedra Branca, Rio Vermelho, Cachoeira
23ª ZE de Pedro Afonso – Aldeia Lajeado
15ª ZE de Formoso do Araguaia – Aldeia Canoanã, Txuiri, São João
5ª ZE de Miracema – Cidade de Tocantínia e Aldeias Porteira, Rio Sono, Brejo Comprido e Funil.

O TSE também aprovou o envio de militares para dar apoio logístico à Justiça Eleitoral a 101 localidades situadas em regiões longínquas e isoladas. Em todos esses locais, os militares atuarão levando equipamentos, como as urnas, e com a presença de servidores e colaboradores da Justiça Eleitoral. No primeiro turno das eleições municipais de 2016, o TSE autorizou o envio de tropas a 315 Municípios de 13 estados.

Da Agência CNM de Notícias, com informações da Agência Câmara